Para aprender a ler 1

Um amigo um dia me disse que devemos ler devagar, sem aquela afobação de chegar ao final da história. Para poder ler e prestar atenção na composição, nas frases isoladas. Pensando melhor agora, acho que ele não me disse tudo isso, mas afinal faz todo o sentido. A questão é: estou lendo devagar. Por falta de tempo, sono ou preguiça, a questão é que estou lendo frase a frase.

Finalmente pus a mão em “Nadja”, do André Breton. Estou besta. O livro, a edição, a encadernação, o toque das folhas. Namorei por horas o exemplar antes de iniciar a leitura. Daí que me encontro com um texto surrealista que também faz todo o sentido. Pontualmente, frase a frase, a lógica do AB traduz sentimentos muito particulares que nunca soube nomear. Bobeiras, mimos até mesmo frescuras que me tornam o que sou.

A tantas, ele escreve: “(…)um desejo assim, uma vez expresso, perde o sentido”. Obrigada, monsieur Breton por concordar. Desejos não se revelam, do contrário perdem completamente o sentido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s